ACADEMIA DE DANÇA

Dançar contribui para o bem estar do ser humano e, por isso mesmo, a dança pode ser praticada por qualquer pessoa, principalmente por crianças, para quem o movimento é fundamental.

A dança também contribuiu para um conforto mental, autoconfiança e aumento da capacidade de comunicação.

 

A dança traduz a necessidade de movimento do ser humano, constituindo uma forma de expressar sentimentos como desejos, alegrias, pesares, gratidão e respeito.

É uma necessidade interior muito mais próxima do campo espiritual do que do fisico.

 

A Academia de Dança da Associação Atlética Botucatuense é comandada pela professora Susy e oferece várias atividades para os associados.

A programação conta com Ballet Baby Class (a partir de 3 anos), Jazz Juvenil, Dança do Ventre, Sapateado Iniciante, Ballet Clássico e Dança para 3ª Idade.

 

As aulas são ministradas de segunda a quinta.

A taxa mensal é de R$10,00. Os interessados devem procurar a Secretaria ou diretamente a professora Susy.

 

Horários

 

Segundas e quartas

Sapateado juvenil – 17h

Ballet Baby Class (a partir dos 3 anos) – 17h45

Jazz Juvenil – 18h30

Ballet Juvenil e adulto – 19h30

Dança do Ventre – 20h15

 

Terças e quintas

Ballet Clássico Iniciante e Juvenil – (11 a 16 anos) – 15h30

Aeróbica Dance –16h30

Baby Class – 18h15

Ballet Clássico Iniciante – 19h15

Jazz adulto – 21h15


 

História
Não temos, hoje, clareza nem de quando e nem de que por que razões o homem dançou pela primeira vez, no entanto na medida em a arqueologia consegue traduzir as inscrições dos “povos pré-históricos”, ela nos indica a existência da dança como parte integrante de cerimônias religiosas, nos permitindo considerar a possibilidade de que a dança tenha nascido a partir ou de forma concomitante ao nascimento da religião. Foram encontradas gravuras de figuras dançando nas cavernas de Lascaux, na medida em que estes homens usavam estas inscrições para retratar aspectos importantes de seu dia-a-dia e de sua cultura, como os relacionados a caça, a morte e a rituais religiosos, podemos inferir que essas figuras dançantes fizessem parte destes rituais de cunho religioso, básicos para a sociedade de então.

 

A dança, tal como todas as manifestações artísticas, é fruto da necessidade de expressão do homem, de maneira que seu aparecimento se liga tanto às necessidades mais concretas dos homens quanto àquelas mais subjetivas. Assim, se a arquitetura nasce da necessidade da construção de moradias adequadas e seguras, a dança, provavelmente, veio da necessidade de exprimir a alegria ou de aplacar fúrias dos deuses.

Atualmente, podemos classificar a dança em três formas distintas: a étnica, a folclórica e a teatral. Acredita-se que as danças folclóricas são fruto da migração das danças religiosas de dentro dos templos para as praças públicas. Com esta migração estes ritos que antes eram permitidos só aos iniciados passaram a fazer parte do universo simbólico de uma população cada vez maior, desta maneira estas manifestações religiosas passaram a tomar um caráter de manifestações populares criando, então, um importante progresso na história da dança. Com esta mudança de caráter e com o passar do tempo, a ligação entre estas manifestações e os deuses foi se diluindo, e as danças, primeiramente religiosas hoje aparecem como folclóricas.

 

Estas danças ao longo do tempo passaram a adquirir “coreografias próprias” de maneira que possuem passos e gestos peculiares a cada uma, com significado próprio e que devem ser respeitados no contexto de cada cerimônia específica.
Durante vários séculos, essas manifestações de dança artística, se eram apresentadas apenas para as nobrezas de cada sociedade, apenas com o passar dos anos o povo foi tendo acesso às exibições, transformando-se assim em teatro popular aquilo que até então era privilégio de uma pequena minoria.
Fonte: www.passosecompassos.com.br

 

 

 

Clique sobre a foto e veja a galeria.